quinta-feira, 16 de julho de 2015

O Trem das Onze.

Trem




Naquela noite acinzentada, o café parecia mais quente que o normal. A monotonia tinha ficado tão intensa... As estações de trem estavam tão cheias, e tão vazias ao mesmo tempo. 

Todos em seus mundos particulares, envolvidos pelos fones de ouvido, pelos livros, ou pela distração de um olhar. O trem chega, recolhe todos, uns sentados, outros em pé. 

E a vida passa, todos preocupados com problemas. 

A Terra parou naquele momento, e eu sentada ao fundo, passei a observar o que se passava. 

Um rapaz em pé, estava triste. Segurava um buquê de flores, e talvez fosse pra longe porque depois de 3 estações, ele não saiu do trem. 
Uma garota que chorava baixo com fones de ouvido, no fundo, bem ao meu lado, talvez chorasse com a música, ou com a perda de um grande amor. 
Um senhor, sentado, carregava a bagagem de anos vividos, assobiava uma música conhecida. E um garoto começou a cantá-la, com uma expressão desanimada. Era a música Trem das Onze. 

"Moro em Jaçanã,
Se eu perder esse trem, que sai agora às onze horas
Só amanhã de manhã..."

Tinha uma garotinha que colocou as duas mãos espalmadas no vidro, e observava por onde o trem passava. Maravilhada, seus olhos grandes corriam pela paisagem. Sua mãe que estava ao lado, massageava as têmporas do rosto. Com a situação do país, tenho certeza que estava preocupada em como pagar as contas no fim do mês. 

E todos ali com seus problemas, com seus percalços. E o silêncio pairando no ar. Parecia até que o silêncio cantava naquela hora. Os problemas não permitiam ninguém falar, conversar, se distrair. Todos focados na distância do destino de chegada, nas contas pra pagar, amores perdidos, nos anos vividos, nos lugares a visitar pela frente. Mas tão focados, que o mundo fora dos problemas é simplesmente inexistente. 

E eu me preocupava apenas em observar os detalhes, porque já não fazia tanto sentido me preocupar com problemas tão solitários. Eu só precisava expressá-los com a minha visão do lado de fora daquele Trem das Onze.



8 comentários:

  1. Um ahazo de texto, como sempre kkk *0*

    ResponderExcluir
  2. Adorei o texto! Parabéns pela escrita perfeita e madura!
    Sucesso com o blog, viu?

    Beijão!

    Imperfeitas e Lindas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muuuuito obrigada! Que bom que adorou! haha

      Sucesso pra ti também, beijão!

      Excluir
  3. Texto LINDO, Gabi! Parabéns pelo blog, você escreve muito bem!

    Beijos,

    Camilla
    www.fikdikblog.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muitíssimo obrigada, Camilla! Fico super feliz que gostou do texto!
      Muito obrigada por comentar!

      Beijos!

      Excluir
  4. Nossa amei demais gente.
    Tu escreve muito bem, parabéns.
    Beijos
    ♥ Te Conto Poesia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muitíssimo obrigada!

      Volte sempre!

      Beijocas!

      Excluir

Comente aqui! - Spams são excluídos pela Gabi!

Curta no facebook

Siga o blog por e-mail!